Arquivo do mês: junho 2006

Dia de São Pedro

Estou lendo, dentre outros, Felicidade clandestina, de Clarice Lispector. Vem cá: ou ela é muito gênio, ou eu sou muito burra (o mais provável) ou ela cheirava todas pra escrever. (Eu e o Shu brincávamos dizendo isso quando estudávamos pro … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Escalação da Nike

"Eu quase de nada não sei, mas desconfio de muita coisa." Desconfio, por exemplo, de que,  ou o Parreira é muito burro ou não é ele quem escala essa merda de time chamada Seleção Brasileira. Intervalo de jogo das oitavas-de- … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Vamos celebrar a estupidez humana

É muito interessante observar o comportamento do brasileiro durante a copa do mundo. O time pode estar horrível, ganhando de1x0, que lá está o povo nas ruas comemorando. Não sei, mas desconfio que mesmo que perdesse, a galera ia pra … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Dickens e Morus

Nesse feriado loquei dois filmes, mas só vi um porque passei a quinta-feira dentro de um ônibus que tem cheiro de mofo e sendo roubada pou um auxiliar de árbitro cuja mãe vende a cerveja a dezão. A latinha! Mas … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Pérolas do Galvão Bueno

Ronaldo Gaúcho cobrando falta: "Ele olha pra bola como o toureiro para o touro."   Croata pedindo substituição: "Esse gesto é universal"   Tem mais, mas não me lembro agora. No próximo jogo, vou anotar pra não esquecer.   

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Preguiça de existir

Daqui a alguns meses fará 40 anos que estou nesse mundo. Confesso que a exemplo de Raul Seixas, dá vontade de gritar: "Pára o mundo que eu quero descer". É uma preguiça de existir, um cansaço de viver, um cansaço … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Jon Bon Jovi

Em 1996 fui apresentada a Bon Jovi. Metonimicamente, evidente. Era o ano de These days. Tinha uma fita-cassete gravada (necas de Kazaa, Ares, Emule…) e as letras a gente conseguia…onde mesmo? (Não havia vagalume.com). Creio que nos álbuns originais, nos … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário